Estilo de Vida


‘Novembro azul’: câncer de próstata pede atenção

A realização de exames regularmente aumenta as chances de cura e reduz a taxa de mortalidade por câncer de próstata. Se cuide!


‘Novembro azul’: câncer de próstata pede atenção

Seguindo o calendário dos meses de conscientização, chegou a vez do “Novembro Azul”, dedicado ao câncer de próstata. Assim como ocorre com outros tipos de câncer, o diagnóstico precoce aumenta as chances de cura e reduz significativamente a taxa de letalidade da doença.

Por falta de informação e desconforto na hora do exame, muitos homens acabam evitando o consultório do proctologista, mas a visita regular ao médico faz toda a diferença!

“O câncer de próstata pode ser assintomático e, em caso, de doença localizada inicial a chance de cura pode atingir 90%”, explica Rodolfo Borges dos Reis, diretor do Departamento de Uro-oncologia da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU).

“Novembro azul” contra o câncer de próstata

A primeira edição da campanha aconteceu em 17 de novembro de 2003, na Austrália. Seu objetivo era chamar a atenção para questões que atingem a saúde masculina e reforçar a necessidade de investimento no diagnóstico precoce da doença.

No Brasil, conforme dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA), 3 milhões de homens convivem com a doença, que é a segunda maior responsável pelas mortes por câncer entre a população masculina. Acredita-se que 42 homens morram todos os dias por causa do câncer de próstata.

“Segundo o INCA, a estimativa de novos casos para 2020 é de 65.840, com 15.576 mortes relacionadas, conforme o Atlas de Mortalidade por Câncer, de 2018”, alerta o médico.

Reis ainda afirma que, além da genética, fatores como a obesidade e a má alimentação aumentam as chances de aparecimento da doença.

Câncer de próstata

Foto: SewCream/ Shutterstock

A próstata e suas funções

A próstata é um órgão presente apenas no sexo masculino, localizado logo abaixo da bexiga, explica Francisco de Assis Teixeira Guerra, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia – Regional Minas Gerais

O órgão tem o tamanho de uma noz, pesa em média 20 a 25 gramas, produz parte do sêmen e tem as funções de nutrição e transporte dos espermatozoides. 

As principais doenças que acometem a próstata são:

• Prostatite;

• Hiperplasia prostática benigna;

• Câncer de próstata. 

Dados sobre o câncer de próstata

• A fase inicial não apresenta sintomas; 

• Um diagnóstico de câncer de próstata acontece, em média, a cada 7 minutos;

• Um óbito pela doença ocorre a cada 40 minutos;

• 20% dos casos de câncer de próstata são diagnosticados exclusivamente pelo exame de toque retal

• 25% dos portadores de câncer de próstata morrem devido à doença;

• 20% dos pacientes com câncer de próstata são diagnosticados em estágios avançados;

• Quando os sintomas começam a aparecer, 95% dos casos já estão em fase adiantada;

• Com o diagnóstico precoce, as chances de cura são de 90%. 

Fatores de risco

• Idade: costuma aparecer depois dos 50 anos;

• Histórico familiar: se há um parente de primeiro grau que já teve câncer de próstata, as chances de aparecimento da doença dobram e se são dois parentes, esse número pode aumentar até seis vezes, alerta Guerra;

• É mais comum nos homens de raça negra;

Obesidade;

Hábitos alimentares, como ingestão excessiva de alimentos gordurosos.

Quanto ao momento de se fazer a avaliação:
– Se fator de risco: 45 anos
– Sem fator de risco: 50 anos

“Novembro azul” lembra a importância do diagnóstico precoce do câncer de próstata

“O diagnóstico é feito através de biópsia, que é indicada quando existe alteração do toque retal (nódulo prostático endurecido) ou valores anormais do antígeno prostático específico (PSA)”, explica Reis.

Segundo o INCA, caso sinta os seguintes sintomas, procure um médico:

• Dificuldade de urinar;

• Diminuição do jato de urina;

• Necessidade de urinar mais vezes durante o dia ou à noite;

• Sangue na urina.

Por isso, a realização anual de check-ups e exames, especialmente entre os homens acima de 50 anos, e a adoção de hábitos mais saudáveis, são ferramentas importantes para reverter esse quadro.

Guerra diz que, segundo dados da pesquisa realizada SBU, que abrangeu 22 estados e teve 499 participantes:

• 55% dos homens acima de 40 anos deixaram de ir ao médico ou fazer tratamento médico devido à pandemia;

• 33% relataram ir regularmente ao urologista;

• 3% afirmaram que nunca consultaram esse especialista.

Portanto, campanhas como o “Novembro Azul” são tão importantes para aumentar a conscientização sobre a doença e levar os homens ao consultório médico.

Tratamento

“A medida a ser adotada dependerá do momento do diagnóstico”, explica Guerra. 

Dentre as opções, estão:

• Vigilância ativa;

• Cirurgia; 

• Radioterapia;

• Bloqueio hormonal.  

Quimioterapia.

Câncer de próstata

Foto: Tetiana Shumbasova/ Shutterstock

Câncer de pênis: também é importante estar atento 

Reis afirma que não há dados exatos sobre sua real incidência, mas que aproximadamente 500 homens morrem anualmente em decorrência da doença. A faixa etária mais afetada é após os 50 anos, mas ela pode aparecer antes.

Suas principais causas são:

• Má higiene íntima;

• Estreitamento do prepúcio, isto é, quando não conseguem expor a glande;

• Infecção pelo vírus HPV.

O aparecimento de lesões na região, feridas, ulcerações persistentes ou massa tumoral, podem indicar a ocorrência desse tipo de câncer e devem ser discutidas com um profissional.

Veja também
Estilo de vida saudável ajuda a prevenir o câncer de mama
Quarentena: alto consumo de açúcar pode estar relacionado ao desenvolvimento de células cancerígenas
Estresse: um gatilho que pode levar ao surgimento do câncer




Clique aqui e veja todas as matérias

Veja Mais...








Clique aqui e veja todas as matérias